quinta-feira, fevereiro 12, 2009

O fim II

É só o fim de um blog que teve o seu tempo, o seu espaço, a sua importância - não é o fim de mais nada! Mas que sim, que fique na blogosfera como as coisas belas nos ficam na memória e regressam, intactas, a esse espaço de prazer que é o recordar a beleza vivida (e acreditar na beleza que ainda está para vir). Curiosidade em ler esse teu novo blog, onde quer que ele esteja! Pena, eu, de já não ter tempo nem vontade de escrever num blog... Visitarei o teu, prometo! :-) Também eu senti o meu fim neste blog, também eu o escrevi mas, na altura, não quis postar o poema. Aqui fica, agora, como um acenar breve, como um até já cumplice, o último olhar dos amantes que se despedem até ao próximo momento em que estarão juntos. Até sempre, (con)vivências!!! O Fim

Secou a tinta da pena e suspendeu-se o gesto,

As palavras morreram

Mudas, serenas e eu apresso-me a dizer

Saudade.

É verdade bastante da poesia que a tristeza

E a própria melancolia

Se espraiam melhor em verso que a

Felicidade.

E eu confesso-me aqui doida

E com pena reconheço o fim

Ou a paragem cardíaca

De mim

neste blogue.

segunda-feira, fevereiro 02, 2009

Brevemente fica o endereço do meu novo blog!
;) sim, porque falta comer o caroço.
E as sementes são fruto!

O fim

Sim, chega ao fim. No fundo, já não tem grande lógica. Sinto que tento aguentar sózinha este blog que foi deixando aos poucos de ser um verdadeiro espaço de (con)vivências. Não vou apagá-lo da blogosfera porque acho que é um espaço que ainda diz muito. Mesmo muito. E que, assim, dirá sempre alguma coisa a quem o quiser (re)visitar. Pode ser que algum dia renasça, quem sabe. Mas por agora sabe mais a fardo do que a gosto, a abandono do que vida, a isolamento do que convivência.
Assim, senhoras e senhores, leitoras e leitores, curiosos e curiosas, cá está ele - o fim.
Um feliz fim. Um fim feliz. Não... hm..
er.. como é que é?
..
Ah! Um final feliz. Exacto. :)

segunda-feira, dezembro 22, 2008

A todos um bom Natal!

Queridos todos que aqui passam
Queria apenas desejar-vos um Santo Natal. Que ele seja motor de renovação do caminho para a perfeição nas vossas vidas. E umas boas entradas em 2009, com propósitos que cumpram a regra do PCP (pouco, pequeno e possível;)!) porque só assim são verdadeiramente concretizáveis.
Até ao fim do ano não postarei mais nada. No inicio do ano darei notícias acerca da continuidade ou não deste blogue. Porque deixou de ser um espaço de (con)vivências. Ou talvez não, e eu é que estou a ser __...__ . Bom,.. pensarei nisto.
Um grande beijinho! :)

sábado, dezembro 06, 2008

"e sobre eles desceram línguas de fogo"

E por que não acreditar sem ver?
Só mesmo tu, Gui. :)

quarta-feira, dezembro 03, 2008

frase do dia

"Porque não tolero o riso? Porque o riso mata o medo. E sem medo não há diabo, não há fé... Não há Deus."
E pensar que já foi assim. E que se calhar ainda é.
A frase não é bem esta. Mas é a ideia. Quem adivinha?

vassoura

Vassoura. A que varre. Deixa que tudo se suje. Fique porco. Com bolas de cotão. Camadas de pó. Para depois limpar. Varrer. Tudo para dentro da pá. Para voltar para um canto. E deixar que tudo se volte a sujar. Da mesma maneira. Com a mesma intensidade.
Quando encontrar um sentido para isto, eu comunico.

quarta-feira, outubro 29, 2008

Era só mais uma viagem de autocarro. Nada mais. Simples. Rotineira. Abanada. Brusca. Aos soluços. Ao sol. À sombra. Nada mais. No entanto, fitavas com os teus olhos pretos o vidro da janela. Não. As tuas pupilas tremelicavam, dando-me o sinal de que não te ficavas pelo vidro mas que focavas os que passava lá fora, à velocidade de 50km/hora. Foi o teu olhar que me pôs a nu e mudamente me gritou que estava errada. Que aquela não era só mais uma viagem de autocarro. Rotineira. Era mais. Não consegui perceber o quê mas algo nos teus olhos dava um significado totalmente diferente à rotina da viagem de autocarro. Quis começar a imaginar um sem fim de histórias, todas hipóteses plausíveis de te trazer esse olhar aos olhos. Começaram a surgir várias, cada uma mais rebuscada do que a anterior, mas parei-me a mim mesma. Se não me dizias mais nada, não devia invadir a tua viagem de autocarro. Era tua. Sei que tinha um significado especial, qualquer. Mas era tua. Nem olhaste para mim. “Universidade Católica” e o frio encheu-me as narinas.

quinta-feira, setembro 25, 2008

Rotina

É bom. Ter rotina é bom. Acreditem os que já desesperam só ao ouvirem este amontoado de letras que forma palavra tão abjecta. É bom. Digo-o por experiência. O ócio é o mais lesto e destruidor substituto da rotina. Tendo esta desaparecido, começa o ócio a lentamente ocupar o nosso dia-a-dia, a invadir os tempos desocupados, a absorver a vontade de agir, e começa a injectar-nos uma espécie de nicotina nos tecidos que nos faz querer mais e mais ócio, até já termos esquecido a rotina. Mas felizmente o ócio não vence, o vício não leva a melhor. A sociedade impõe-nos a rotina, como pedra angular da sobrevivência.
Conheci um artista plático que retratou a rotina de uma forma sublime, uma imagem que só um olhar de artista conseguiria captar e depois figurar de tal maneira. É a rotina retratada como uma forma cónica, deitada sobre uma superfície. A empurrar a parte mais larga, e em muito menor proporção em relação ao cone, está a figura humana, que passa o seu dia numa rotina de empurrão da figura geométrica mas que acaba por ir dar sempre ao mesmo lugar, já que o vértice do cone não permite qualquer descentralizão. A rotina como esforço humano que se retoma sempre, e sempre de igual maneira, todos os dias.
Mas a beleza da rotina é esta - é essencial para o ser humano. Para a realização do ser humano como tal. Como ser com objectivos, com metas a alcançar, com etapas para superar, com muitos passos para dar até à satizfação plena, e todos esses clichés demasiado gastos e usados. Mesmo aquele que não faz nada da vida, tem rotina nessa tarefa. Até mundo, o sol e as estrelas no-la impõem. E ainda bem. Que é tão bom.
Vivi uns meses no ópio do ócio. Volto agora à rotina. Aos empurrões. Às obrigações, cansaços, horários, calendários. E sou muito mais feliz. Guardo as marcas das injecções para me lembrar que o ócio começa por saber bem e por saber a "só de vez em quando" até que (quando e como foi que isso aconteceu?) me toma por cmpleto e me apaga.
Viva a rotina!
Insanidade mental?

domingo, setembro 14, 2008

departure

Cá vou eeeeuuuu!! :)
Amanhã parto para o Porto, rumo à Católica. Vai ser bom. Muito bom.
trabalho, trabalho, trabalho.
empenho, empenho, empenho.
esforço, esforço, esforço.
gozo, gozo, gozo.
WOHOO! WOHOO! WOHOO!
:)
espero que a Invicta me traga inspiração para escrever. e coragem para postar o que tenho escrito.
:)

quinta-feira, setembro 04, 2008

21 :)

21...
Não sei porquê mas assusta-me.
21.
A segunda (a definitiva) maioridade.
Com tudo o que isso tem de mau.
mas principalmente com o que isso tem de bom.
Hoje completei 21.
Vá.. É uma bonita idade. :)

segunda-feira, agosto 04, 2008

IEEEEIIE!!! :) :)

ENTREI!!! :)
Na ESML e na ESMAE!!
Acabei por me candidatar também à Escola das Artes da Univ. Católica do Porto e também ENTREI!!
WOOOOOHOOOOOOOOOOO!!!!!
IABADABADOUHHH!!!
Agora... fica a escolha! Que tem de ser feita o mais rapidamente possível! Ai!!
Sugestões? ;)

quinta-feira, julho 10, 2008

fotos

LOOOL!

segunda-feira, julho 07, 2008

COMO?!?

COMO?!? pergunto eu! como é que eu não tenho nada acerca de uma das actividades de Verão mais espectaculares que já fiz?! O EL PAQUITO!!
O ano passado, celebrando os 500 anos após o nascimento de S. Francisco de Xavier, a Companhia de Jesus resolveu organizar uma viagem às terras de dois dos seu fundadores - Sto Inácio de Loyola e S. Francisco de Xavier. Partiu de Portugal um animadissimo grupo rumo a Loyola e a Xavier. Foi nesta última que se desenrolou toda a acção! :) Decidimos que queriamos levar a vida de S. Francisco Xavier (que é verdadeiramente inspiradora) a todos os que por lá passassem. Assim, dividimo-nos em grupos com actividades diferentes. Um comporia um quadro com pessoas vestidas à época que encarnariam a família de Xavier. Outros andariam a vender jornais acerca da fantástica viagem de S. Francisco até à China. Outros venderiam bilhetes para lá, através da Javier lines :). Outros criariam uma espécie de caixa de música que retratasse um bocadinho da vida na China e também a chegada festive e acolhedora de Francisco ao país. Outro contaria a viagem de S. Francisco em fantoches. Eu estive neste último e digo-vos que foi fenomenal! Deu uma trabalhaça coser aqueles fantoches e montar tudo mas valeu mesmo a pena!
Aqui fica a recordação destes dias tão bem passados com amigos (que ficaram mesmo no coração) e,entre estes mas mais especial, Jesus.
Enjoy!

video

dp ponho mais fotos!

Recordando (trazendo de novo ao coração) :) ...

segunda-feira, junho 23, 2008

waiting

Da ESML...
TALVEZ saiba hoje!
Da ESMAE...
em SETEMBRO!!!! :(

Só queria poder fazer planos e sentir a vida a começar... :(.

Shit.